Quem acompanha o blog e o canal no YouTube, bem sabe que eu não era leitora de HB. A paixão ardente começou lá no meio deste ano depois que li seu livro de contos, Hellboy – Estranhas Missões, no qual nosso demônio (e investigador mais famoso do mundo), vive aventuras e desventuras com conhecidos e desconhecidos. Milimetricamente escrito, apesar da ausência de desenhos, já que se trata de leitura corrida, como livro, foi ali que visualizei todo o universo que o personagem era imerso. Foi dali que meu gosto pela personalidade de HB se afinou. O resultado? Bem vocês sabem… Não fico sem meu HB.

 

Tá, mas e daí?

Com certeza essa é sua pergunta (nessa horas me sinto até JoJo).

Dessa brincadeira com Estranhas Missões eu acabei me envolvendo com toda a saga (ou boa parte dela, por hora), que a Mythos publicou e está publicando.

Meu segundo passo foi conhecer B.P.DP – Origens, edição já esgotada, mas que consegui através de um amigo.

Ver aquele toco de gente que era o Hellboy me deixou ainda mais animada em saber sobre tudo que envolveu sobre seu passado; toda a história antes havida das edições históricas.

Varvara

Conhecer Varvara, quem era o professor Brum, e qual a função que cada personagem já mirrado na histórica teve… Foi como se eu, em um determinado momento, também fizesse parte da família de Hellboy.

Estranho né? Mas vindo de uma leitora de Tex que vê o personagem como a mais pura tradução do próprio pai, não é tão absurdo afinal.

Evidentemente foi fácil chegar em B.P.D.P 1952, que vem trazendo HB mais “moço” em suas primeiras missões como agente “de verdade” do Bureau. E mais eu me apego ao personagem. Pelo amor de deus! Parecia eu quando era estagiária no meu primeiro emprego! Como pode um personagem ser tão humano?!

Com B.P.D.P 1953, o lançamento mais recente da Mythos, o sentimento já começava a mudar. Embora ainda aspira, HB já tem mais corpo (literalmente), e experiência também. Seu laços de afeição com outros personagens soa mais refinados, seja por respeito, admiração ou ódio.

Apesar de já ser bem conhecido, é visível também a mudança d e comportamento das pessoas com HB no cotidiano de Missões ou vida. Mike é tão genial e filho de uma p*$#, que consegue transportar os liames de relacionamento da vida humana para os quadrinhos. Então dificilmente você vai ler HB e não se envolver com algo deste universo.

 

 

Afinal, qual a desgraça da lógica de publicar HB fora de ordem? E a cronologia, como fica?

Primeiro de tudo: HB é quase um Star Wars. Não é desde sempre que existem todas as histórias desde o inicio. Por isso existem publicações “fora de ordem”.

Mas o mais curioso é que, assim como em Star Wars, o fato de você assistir ou ler ao capítulo 4, por exemplo, não anula a própria história e não te deixa perdido no rolê.

HB goza da mesma elasticidade de roteiro que a obra de Sr. Lucas: por se tratarem de capítulos agrupados em blocos de histórias, embora exista um tô be vai continuar, você consegue entender. E pior: o desespero para saber mais só aumenta… hahaha

Bom, vamos adiante.

Saindo das B.P.D.P, eu caí na edição histórica. Hoje são 8 volumes, mas ela vai até o número 10. Este ano ainda será publicado a Histórica n. 09, então aguenta coração…

Lombadinhas vermelhas s2

A lógica dessa coleção de Edições Históricas é justamente agrupar as histórias por ordem cronológica desde a morte de uma certa pessoa (fiquem tranquilos não vou dizer quem é).

Eu sei que a edição histórica volume 01 está esgotada, calma… Realmente fez muito sucesso. Por hora ainda não temos previsão de reimpressão, mas lembrem: se vocês pedirem com muito gosto, quem sabe 😉

Depois da edição histórica temos o volume único intitulado A Morte de Hellboy. Não, esse ainda não li. Tem contos que eventualmente possam ter saído na histórica que tem nesse tomo? Tem.

Mas há algumas delas que não estão presentes dos demais volumes publicados pela Mythos. Então fique atento.

Depois deste tomo vem o arco Hellboy no inferno composto por dois volumes. Eles vão contar o que HB passou lá embaixo… E não, eu ainda não li, embora a curiosidade esteja a pino.

Há ainda outra edição, lentamente esgotada: Hellboy – Edição Ouro. Ela contém outras histórias não publicadas em arcos de história e reúne grandes nomes que foram convidados à desenhar nosso investigador paranormal. A edição é linda. Não só pelo seu formato gigantesco, mas pelo conteúdo. A cada novo conjunto de quadros temos novas histórias e novos traços. É o mais gostoso nesse volume é que, embora a essência de cada desenhista tenha sido conservada, HB não perdeu seus signos e nem traços de personalidade que emanam em seu corpo e principalmente no seu rosto.

Algumas outras publicações de HB também são encontradas como contos únicos:

a. HELLBOY no México

b. HELLBOY apresenta Frankenstein

c. HELLBOY Tormenta e Fúria

d. HELLBOY A casa dos Mortos-Vivos

e. B.P.D.P Inferno na Terra – Vol 01

Quanto à esta obras SEPARADAS, eu não cheguei a ler seus respectivos volumes. Mas conforme minha leitura for avançando, faço questão de atualizar o post! Afinal, é complicado falar de um membro da família tão importante numa única tacada!

Ah, e fiquem ligados:

Previsões de lançamento

  • Hellboy Histórica vol. 09
  • BPDP Origens vol. 02

Em breve divulgaremos as datas!

Até a próxima!

Facebook
Twitter
RSS
Google+
http://mythologico.com.br/hellboy-a-saga-pelo-desconhecido/
Joana Rosa Russo
joanarrt@gmail.com

2 thoughts on “Hellboy – A saga pelo desconhecido.”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *